Oradores

Sessão: Inteligência artificial & o futuro do trabalho: ameaças e oportunidades

Manuel Heitor

Manuel HeitorManuel Heitor nasceu em Lisboa, em 1958. É doutorado pelo Imperial College de Londres, na área de Engenharia Mecânica (Combustão Experimental), 1985, tendo feito um pós-doutoramento na Universidade da Califórnia em San Diego, 1986. Prosseguiu posteriormente uma carreira académica no Instituto Superior Técnico em Lisboa, onde começou por desenvolver a sua atividade de investigação na área de Mecânica de Fluídos e Combustão Experimental. É Professor Catedrático no Instituto Superior Técnico (IST), Lisboa, onde dirige o «Centro de Estudos em Inovação, Tecnologia e Politicas de Desenvolvimento, IN+» e coordena os programas de doutoramento do IST em «Engenharia e Políticas Públicas» e em «Engenharia de Concepção e Sistemas Avançados de Manufactura». Foi Secretário de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, dos XVII e XVIII Governo, entre março de 2005 e junho de 2011, envolvendo-se ativamente no aumento do financiamento público e privado para atividades de ciência e tecnologia e na reforma e modernização do ensino superior. Foi particularmente instrumental no desenho e implementação de consórcios internacionais em investigação e formação avançada entre universidades portuguesas e norte americanas, envolvendo redes temáticas de ciência e tecnologia. Durante o ano lectivo 2011/12 foi Professor Visitante na Universidade de Harvard, nos Estados Unidos da América. Desempenhou as funções de Presidente Adjunto do Instituto Superior Técnico entre 1993 e 1998, tendo-se dedicado desde o início dos anos 90 ao estudo de políticas de ciência, tecnologia e inovação, incluindo políticas e gestão do ensino superior. Fundou em 1998 o «Centro de Estudos em Inovação, Tecnologia e Politicas de Desenvolvimento, IN+», do IST, o qual foi nomeado em 2005 como um dos Top 50 global centres of research on Management of Technology, pela International Association for the Management of Technology, IAMOT. É Research Fellow da Universidade do Texas em Austin, no Instituto IC2, Innovation, Creativity and Capital. Lançou e coordenou a série de conferências internacionais sobre Technology Policy and Innovation e é co-editor da série de livros sobre Science and Technology Policy, editada pela Purdue University Press. Foi co-fundador em 2002 da rede internacional «Globelics – the global network for the economics of learning, innovation, and competence building systems». Recentemente, tem estado envolvido na promoção da rede europeia «step4EU, science, technology, education and policy for Europe», assim como no estabelecimento do Observatório Internacional de Políticas Globais para a Exploração do Atlântico, OIPG». Em julho 2015 promoveu em Portugal o Manifesto «O Conhecimento como Futuro» e, mais tarde, a declaração internacional «Knowledge as Our Common Future».

Arlindo Oliveira

Arlindo Oliveira Arlindo Oliveira nasceu em Angola e viveu em Moçambique, Portugal, Suíça e Califórnia. Licenciou-se em Engenharia Electrotécnica e de Computadores pelo Instituto Superior Técnico (IST) e doutorou-se na mesma área pela Universidade da Califórnia em Berkeley. Foi investigador do CERN e dos Berkeley Cadence Laboratories. É professor catedrático do Departamento de Engenharia Informática do IST e investigador do INESC-ID. Publicou três livros, traduzidos em diversas línguas, e mais de 150 artigos científicos em revistas e conferências internacionais da especialidade. Foi administrador de diversas empresas e instituições, assim como presidente do INESC-ID e da Associação Portuguesa para a Inteligência Artificial. É membro do IEEE e da Academia da Engenharia. Assumiu a Presidência do Instituto Superior Técnico em 2012.

Hugo Pinto

Hugo Pinto

Hugo Pinto mistura técnicas de estratégias de negócios, tecnologia e design centralizado no user para promover a transformação e possibilitar que organizações superem os seus competidores, tirando partido das capacidades da era digital.
Ele tem sido constantemente deslocado a organizações para criar novos produtos e fluxos de receita, assim como liderar funções de Digitalização e Inovação com fins globais. Algumas das organizações são a MTV, Telefonica, IBM e a Accenture, e agora lidera a ‘Digital & Innovation for Europe’ na Capco.
O Hugo é um entusiasta das tecnologias emergentes e do impacto que elas irão ter no mundo, nos nossos negócios e em toda a humanidade, e está especialmente interessado a dar vida à Inteligência Artificial, Blockchain e Realidade Aumentada, sendo que estas vão digitalizar o mudo físico e acelerar exponencialmente a inovação e a experiência humana.
Ele já liderou equipas para definir e construir o futuro da Saúde, Energia e Educação, e agora colabora e aconselha uma série de start-ups e corporações em busca do pivot digital, pois estas tentam redefinir as indústrias e as categorias de futuras gerações.

Miguel Rodrigues

Miguel Rodrigues

Miguel Rodrigues é Professor Associado na University College London em Londres, Reino Unido e membro do corpo docente do Instituto Turing. Ocupava a posição de Professor Auxiliar na Universidade do Porto, Portugal, tendo sido posteriormente promovido a Professor Associado, onde liderou o Grupo de Comunicações e Teoria da Informação no Instituto de Telecomunicações-Porto. Além disso, exerceu diversas funções em instituições por todo o mundo, incluindo Universidade de Princeton, Universidade de Cambridge e Universidade Duke. A sua investigação – que se foca na área geral da Matemática de Informação, Teoria da Informação e Processamento e Machine Learning – resultou na publicação do livro ‘Information-Theoretic Methods in Data Science’ (Cambridge University Press), em mais de 200 artigos científicos e 5 apresentações orais em conferências internacionais, prémios internacionais prestigiados, em mais de £3.5M em bolsas de investigação como Investigador Principal e no envolvimento de mais de 20 estudantes de doutoramento/investigadores de pós-doutoramento. É cofundador e diretor de um novo curso de mestrado em ‘Integrated Machine Learning Systems’ na University College London.

Sessão: Uma nova economia de trabalho – que competências as gerações futuras irão precisar

Rosalia Vargas

rosalia-vargas.jpg

Licenciada em Filosofia e Mestre em Comunicação Educacional e Multimédia, o seu percurso académico e profissional contempla ainda formações na Educação de Adultos, na Educação e os Media e na Cultura Científica e Tecnológica – áreas em que tem tido cargos de coordenação, integrando grupos de estudo e avaliação nacionais e internacionais: membro do Board (2001-2007) e Presidente (2013-2015) do ECSITE – European Network of Science Centres and Museums, membro do Conselho Nacional de Educação (2006-2011) e vereadora da Educação, Juventude e Cultura da Câmara Municipal de Lisboa (2007-2009), foi também Delegada Nacional no 7º Programa Quadro Investigação e Desenvolvimento, Comissão Europeia e integrou o Comité Editorial do Programa Harvard Medical School – Portugal. Faz parte do Conselho Geral de duas escolas secundárias e integrou o grupo de trabalho relativo ao acordo de cooperação entre Portugal e Angola. É Presidente da Agência Nacional para a Cultura Científica e Tecnológica – Ciência Viva e do Pavilhão do Conhecimento – Ciência Viva, exercendo ainda competências ao nível da implantação da rede de Centros Ciência Viva em todo o país (1996/2017). É membro do board do ASTC – Association of Science-Technology Centers.

Tiago Oliveira

Tiago Oliveira

Tiago Oliveira é Professor Associado de Gestão de Informação, Reitor Associado para Investigação e Programa Doutoral na NOVA – Escola de Gestão de Informação (NOVA IMS) e Coordenador do curso de Gestão de Informação. Os seus interesses científicos incluem adoção tecnológica, divisão digital e educação. Publicou artigos científicos em diversas revistas académicas e conferências, incluindo Information & Management, Decision Support Systems, Government Information Quarterly, Computers & Education, Computers in Human Behavior, Journal of Business Research, Information Technology & People, Information Systems Frontiers, International Journal of Information Management, Journal of Global Information Management, Industrial Management & Data Systems, Computers in Industry, entre outras. Tiago foi autor de mais de 100 artigos científicos em revistas e atas de conferências. Tiago tem mais de 4850 citações (https://scholar.google.com/citations?user=RXwZPpoAAAAJ).

Sofia Marques Silva

Sofia Marques da Silva

Sofia Marques da Silva é Professora Auxiliar na Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade do Porto, Portugal, e membro do CIIE – Centro de Investigação e Intervenção Educativas. É também colaboradora no INESC-TEC. Tem um doutoramento em Ciências da Educação desde 2008 e tem feito investigação da área da inclusão, diversidade e juventude. Desde 2010, tem estado envolvida no desenvolvimento de uma etnografia online e offline com jovens de regiões de fronteira. É a coordenadora do projeto nacional GROW.UP – Crescer em regiões de fronteira em Portugal: jovens, percursos educativos e agendas (Norte2020/FEDER/FCT) e do Eramus + projeto #IBelong – A caminho de um sentimento de pertencer num ambiente de aprendizagem inclusivo. É convocadora da Conferência Europeia de Investigação em Educação (ECER) e editora-chefe da revista Ethnography & Education (Taylor&Francis/Routledge). É membro da Direção da Sociedade Portuguesa de Ciências da Educação. É uma especialista da rede europeia NESET II (Dimensão Social de Educação e Formação) e EACEA (Agência Executiva de Educação, Audiovisual e Cultura). É membro, por convite, da Comissão de Programa para o programa específico para implementação do Horizon 2020 – Programa-quadro de Investigação e Inovação (2014-2020). É coordenadora adjunta da iniciativa nacional Portugal INCoDe.2030, coordenando em particular atividades da Linha de Ação 1 – Inclusão e desigualdade entre géneros nas Tecnologias de Informação.

Ricardo Marvão

Ricardo Marvao

Cofundador e membro da direção de Beta-i. Situada em Lisboa, Beta-i é uma das principais organizações de empreendedorismo e inovação na Europa. Beta-i auxilia empresas novas e estabelecidas a crescer como startups, oferecendo programas de aceleração e inovação, organizando eventos, promovendo investimento e criando espaços de trabalho no nosso centro. Cofundador e diretor executivo de Evolve Space Solutions (Alemanha e Portugal) desde 2004, desenvolvendo produtos de software para a Indústria Aeroespacial, com clientes como ESA, Thales, Astrium, Inmarsat, Eumetsat, Airbus, Boeing, Embraer (adquirida pela Novabase (NBA) em 2011, empresa Euronext desde 2000, empresa de IT Número 1 em Portugal especializada no setor de Telecomunicações, com mais de 3000 funcionários, escritórios em Portugal, Espanha, Alemanha, Reino Unido, Médio Oriente, Moçambique, Angola, África do Sul e Gana).

Sessão: Desenvolvimento tecnológico e o seu impacto na saúde e sociedade

Henrique Martins

Henrique Martins

Henrique Martins foi responsável pela Informatização Clinica do HFF e fundador e dinamizador, durante três anos, do Centro de Investigação e Criatividade em Informática do HFF (www.ci2.pt), supervisionado projetos na área de robótica, computação, bases de dados e sistemas inteligentes. Foi responsável pela criação da Plataforma de Partilha de Informação de Saúde, em Portugal, receita sem papel e exames sem papel, bem como pelos registos nacionais de vacinação e muitos outros projetos nacionais de transformação digital. É representante de Portugal na eHealth Network (https://ec.europa.eu/health/ehealth/policy/network_en), o órgão responsável pelas políticas de saúde na União Europeia e foi eleito chair da eHealth Network desde 2018. Tem vindo a participar em vários projetos de interoperabilidade, financiados pela União Europeia, como o epSOS e outros e desempenhou funções de coordenador do EXPAND, sendo atualmente o coordenador da Joint Action, contando com a participação de mais que 27 Estados Membros, na promoção de eHealth na Europa (eHealth Action – http://jointaction3.spms.min-saude.pt/). É coordenador de Programas na Área da Saúde da Universidade Católica-Lisbon Business School, ranking do Financial Times há mais de dez anos, presentemente ensina gestão de saúde, liderança e informática médica em Portugal, e no estrangeiro em universidades de gestão de topo na área médica e para outros profissionais de saúde.

Sofia Ramalho

SofiaRamalho

Concluiu Licenciatura (1997) e Mestrado Científico em Intervenção Psicológica com Crianças e Jovens (2005), na Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade do Porto. É Especialista em Psicologia da Educação e Psicologia do Trabalho, Social e das Organizações. Coordenou, durante 14 anos, o Serviço de Psicologia no Colégio de Nossa Senhora do Rosário (CNSR), no Porto. No âmbito do seu trabalho em contexto escolar, tem apostado na consultoria psicológica colaborativa, no desenho de projetos de intervenção educativa, em intervenções alargadas de promoção e prevenção, e no desenvolvimento de projetos de ação-investigação, em colaboração com Universidades. Tem apresentado comunicações em reuniões profissionais e científicas, no âmbito da intervenção psicológica em contexto escolar. Em 2008, foi cofundadora de um grupo de intervisão que integra atualmente colegas de 22 instituições de ensino privado, com objetivos de validação de práticas profissionais em contexto. Atualmente, é Vice-Presidente da Ordem dos Psicólogos Portugueses (OPP), responsável pela pasta da Educação; integra a Comissão NAC – National Awarding Committee e coordena o Grupo de Trabalho de Intervenção do Psicólogo em Contexto Escolar, da OPP.

Becky Inkster

Becky Inkster

Funções atuais: Universidade de Cambridge; Instituto de Turing; Universidade Nacional
de Singapura; Wysa Al healthcare; Membro do Conselho Consultivo Lancet Digital Health; Cofundadora do Hip-Hop Psych. Uma neurocientista apaixonada por tudo o quanto é células ou telemóveis, genes ou joias, hip-hop e hipocampo. Ela pesquisa inteligência artificial, saúde mental, ética e governamentação, intervenções digitais, clínicas e baseadas na música, data na comunicação social, biologia molecular, neuroimagem, epidemiologia, psiquiatria, psicologia, ‘watermarking’ ultra-audível, saúde financeira, saúde no espaço, estatística, política, integração do público e outras áreas que estão ligadas à compreensão da saúde mental. Ela gosta de se envolver na cultura jovem, nas artes e na sociedade. (www.beckyinkster.com  @Dr_Inkster)

João Rangel de Almeida

joao-rangel-de-almeida.jpg

O João Rangel de Almeida é manager de desenvolvimento de portfólio de humanidades médicas e ciências sociais na Wellcome Trust e bolseiro de investigação na Birkbeck, Universidade de Londres. O João estudou sociologia e obteve tanto o MSc. como o Ph.D. em Estudos das Ciências e Tecnologias na Universidade de Edimburgo. Ele foi visiting scholar na Universidade da Pennsylvania (Departamento de História e Sociologia da Ciência) e pós-doutorando no Instituto Max Planck para História da Ciência. A sua investigação foca-se nas regulações internacionais da saúde pública durante momentos de emergência na saúde. Tem um leque de experiências internacionais e desenvolve projetos na América, Asia, e África. Nestes locais, desenvolve estratégicas académicas e de financiamento para ligar redes globais de académicos que investigam assuntos relacionados com a saúde. Também se foca na tradução do conhecimento para maximizar o impacto na investigação das Humanidades e das Ciências Sociais. Atualmente, está a completar um MBA Executivo na Universidade de Cambridge, Judge Business School.

Sessão: Implicações éticas de IA, regulação e controlo de inovação

Nando de Freitas

Nando de Freitas Nando nasceu no Zimbábue, com malária. Foi refugiado da guerra em Moçambique. No seguimento dos seus pais se endividarem para lhe conseguirem comprar um passaporte a um oficial corrupto, Nando acabou a morar numa pequena cabana de rocha vulcânica na Madeira, Portugal, sem água e eletricidade, antes da EU e sem seus pais, que estavam ocupados a ganhar dinheiro para pagar a sua dívida. Aos oito anos, juntou-se aos seus pais na Venezuela e começou a estudar em Catia; um bairro de Caracas. Mudou-se para a África do Sul depois do ensino secundário e vendeu cerveja ilegalmente como sustento até 1991; aprendendo a resolver EDOs no tempo livre. O apartheid foi a pior experiência pela qual já passou. Obteve o seu bacharelato em engenharia elétrica e mestrado em controlo na Universidade de Witwatersrand, sob a orientação de professores e amigos incríveis, onde se esforçou para ser o melhor aluno para provar aos racistas que qualquer um pode fazê-lo. Teve o privilégio de finalizar um doutoramento em métodos Bayesianos para redes neurais no Trinity College, Universidade de Cambridge, graças a bolsas de estudo de benfeitores que doam e investem em educação. Pós-doutorou-se em Inteligência Artificial na UC Berkeley, e tornou-se professor na Universidade de British Columbia, Canadá, em 2001 e posteriormente na Universidade de Oxford, no Reino Unido, em 2013. Em 2017, juntou-se à DeepMind a tempo integral como investigador principal com a visão de resolver inteligência para que as futuras gerações possam ter uma vida melhor. Nando é também Senior Fellow do Instituto Canadense de Investigação Avançada e recebeu vários prémios académicos.

Virginia Dignum

Virginia Dignum.JPG

Virginia Dignum é professora de Inteligência Artificial (IA) Social e Ética na Universidade de Umeå, na Suécia, e associada à TU Delft na Holanda. A sua investigação foca-se no impacto ético e social da IA. É membra da Associação Europeia de Inteligência Artificial (EURAI), membra do Grupo de Especialistas em Inteligência Artificial da Comissão Europeia, do Conselho Global de Inteligência Artificial do Fórum Económico Mundial, do Comité Executivo da Iniciativa IEEE sobre Projetos desenhados éticamente e co-fundadora da ALLAI-NL, a Aliança de IA holandesa. Em 2006, foi premiada com uma bolsa aVeni pela NWO (Organização Holandesa de Investigação Científica). É uma palestrante internacionalmente reconhecida pelo seu trabalho nos impactos sociais e éticos da Inteligência Artificial, é membra de comités de revisão de todas as principais revistas e conferências de IA e publicou mais de 180 artigos revistos ​​por pares.

Aleks Berditchevskaia

aleks.jpg

Aleks é investigadora sénior e gestora de projetos no Centro para o Design de Inteligência Coletiva. Anteriormente ao Nesta, Aleks trabalhou durante dois anos em transferência de conhecimento internacional e envolvimento político para um projeto da Comissão Europeia sobre ciência cidadã na área de biodesign e sustentabilidade ambiental. Trabalhou também no Centro de Política Científica na Royal Society, focando-se em tecnologias emergentes e nas implicações étnicas e sociais de machine learning. Tem um doutoramento em Neurociências do Imperial College London. Aleks tem paixão pela interseção entre as artes e as ciências. Co-curou programas para eventos de Artes e Ciências virados para a comunidade e recentemente colaborou com a artista Stine Marie Jacobsen no projeto educacional Pidgin Tongue para a inauguração da Bienal de Riga. No seu tempo livre, pode encontrá-la a observar arte, a praticar ioga ou a correr ao longo dos canais de Londres.

Moderadores

Danil Mikhailov

profile_pic_2015Danil é líder da equipa de dados e inovação na Wellcome Trust, responsável por aconselhar a equipa executiva sobre como os mais recentes avanços tecnológicos podem ajudar a Wellcome a cumprir melhor sua missão. Como parte dessa função, Danil criou o Wellcome Data Labs, uma nova equipe de investigação e desenvolvimento, combinando tecnologia e ciência de dados para ajudar a informar a tomada de decisões na Wellcome e compreender o alcance e o impacto do financiamento da Wellcome à ciência. Danil actua também como líder técnico na fase de desenvolvimento da Área Prioritária de Dados para Ciência e Saúde, visando desbloquear a aplicação da inovação tecnológica em dados de saúde. Danil trabalhou em tecnologia nos últimos 20 anos. Paralelamente, seguiu uma carreira académica em antropologia e sociologia, focando-se nos impactos da mudança tecnológica, em particular da Inteligência Artificial na nossa sociedade..

Tatiana Correia

TatianaComo Gerente de Transferência de Conhecimento para Nanotecnologia da KTN, Tatiana apoia a inovação e a transferência de conhecimento em toda a comunidade de manufactura em nanoescala; lidar com a adoção de instrumentação, a caracterização de materiais e superfícies avançadas, sensores baseados em nanotecnologias de captação de energia, controle de qualidade on-line e conformidade com os regimes reguladores subjacentes. Tatiana também suporta o grupo de interesse especial de grafeno e materiais 2D. Tatiana é autora de vários artigos científicos e co-editora do “Electrocaloric Materials: New Generation of Coolers”. Ela também é co-inventora de um material cerâmico para armazenamento de energia a altas temperaturas, um projeto no qual ela liderou um consórcio de parceiros académicos e industriais no desenvolvimento de um produto capacitivo de TRL1 para TRL 7.

Mariana Pinto da Costa

Mariana

A Dra. Mariana Pinto da Costa é encontra-se a realizer o doutoramento na Unidade de Psiquiatria Social e Comunitária (Centro Colaborador da OMS para Desenvolvimento de Serviços de Saúde Mental e NIHR Global Health Group) na Queen Mary University de Londres e trabalha como psiquiatra no NHS de East London Trust (ELFT). Durante os seus estudos de medicina na Universidade do Porto, esteve no estrangeiro durante dois anos (na Itália e na Polónia) e ganhou um prémio da Comissão Europeia “Erasmus Student 2 million – Erasmus, Success Stories”. Manteve-se apaixonada pela mobilidade e colaborou com a Comissão Europeia ao redigir a Declaração de Geração Erasmus +, que apresentou no Parlamento Europeu para discutir o futuro deste programa. Tem também experiência clínica e de investigação em África, onde estava rastreando o envolvimento de álcool, tabaco e outras substâncias, em utentes de cuidados primários e de saúde mental em Luanda, enquanto estudava para o Mestrado Internacional em Política e Serviços de Saúde Mental na Universidade Nova de Lisboa. apoiado pela OMS. Actualmente, tem vários cargos de liderança, sendo a Presidente da Secção de Psiquiatras de Carreira Precoce na Associação Mundial de Psiquiatria, Presidente do Comité de Psiquiatras de Carreira Precoce na Associação Psiquiátrica Europeia e Vice-Presidente da Associação Portuguesa de Investigadores e Estudantes no Reino Unido.

Zeynep Engin

ZeynepDr. Zeynep Engin é uma investigadora associada sénior no Laboratório de Dinâmica Urbana da UCL, com foco no desenvolvimento de uma plataforma de tecnologia nacional para investigação de análise urbana e da sua comunidade. É formada em matemática e tem um doutoramento em detecção de padrões estatísticos em dados visuais, tendo posteriormente trabalhado por mais de cinco anos numa posição executiva do sector sem fins lucrativos. Zeynep é também membra do Policy Center for Science and Policy (CSaP) da Universidade de Cambridge. Os interesses de investigação de Zeynep abrangem uma série de tópicos na interface da ciência de dados e políticas públicas. Zeynep está interessada principalmente no desenvolvimento de infraestrutura e metodologia digital para recolher e analisar dados relevantes de políticas de fontes heterogéneas (dados abertos, comerciais, proprietários e pessoais), a fim de fornecer uma melhor base de evidências para os formuladores de políticas. Como parte deste trabalho, Zeynep envolve-se com várias autoridades locais e regionais, parlamentares e departamentos do governo central, além de outras organizações-chave ativas no campo, como o Open Data Institute e a Future Cities Catapult. Zeynep também organizou a conferência anual de Data for Policy em 2015, que provou ser um fórum internacional fundamental em torno da teoria e aplicações da ciência de dados para governos e investigação em política. A série da conferências é apoiada por um grande número de partes interessadas, incluindo as principais instituições académicas do mundo (UCL, Cambridge, Oxford, Imperial, LSE, Leiden, NYU), órgãos governamentais (GO-Science, Comissão Européia, Office for National Statistics). organizações sem fins lucrativos (Royal Statistical Society, ScienceWise) e partes interessadas comerciais (Grupo Technopolis).